Dicas para Trabalhar como PJ

54
Dicas para Trabalhar como PJ
4.4 (88%) 5 votos

Para cortar custos, muitas empresas propõem ao empregado que aceitem ser demitidos como CLT, sendo posteriormente contratadas sob o regime de pessoa jurídica (PJ), no qual o empregado é obrigado a arcar com grande parte dos custos anteriormente suportados pelo empregador – para não mencionar a perda de alguns benefícios.

Resumindo, a empresa irá demitir você e recontratar você como um prestador de serviços fixo. Mais frequente entre os graus mais baixos na hierarquia corporativa, mas há até mesmo executivos que são PJs. Veja o que considerar se você receber uma proposta dessas.

Pegar ou largar

Se a empresa propõe que você trabalhe todos os dias, você deve ser contrato de acordo com a CLT. Caso contrário, contratante estaria desprezando a lei. Mas o empregado em aceitar não prejudica nenhuma regra.

Perda de benefícios

Normalmente, quando você se torna um PJ, perde vantagens como férias, 13º salário e FGTS. Ou seja, se o contrato for quebrado, você não receberá nada além dos dias trabalhados no mês – às vezes, nem isso! Algumas empresas, no entanto, mantêm vários benefícios adicionais.

Abrir ou não uma empresa

Uma das primeiras decisões a tomar é abrir ou não uma empresa. Aqueles que decidirem abrir uma empresa devem contratar um contador e pagar honorários mensais para garantir que eles preencham os formulários corretos, forneçam a declaração de IR da empresa e forneçam as informações para sua declaração como pessoa física.

Aqueles que preferem não abrir uma empresa podem emitir Recibo de Pagamento de Autônomo (RPAs), emitidas para cada serviço prestado, a quem contratar seus serviços. É necessário ter registro na prefeitura e na Previdência Social.

Tem aumento?

Geralmente não. Vale a pena negociar no momento da contratação de um valor que seja confortável o suficiente para você gastar pelo menos dois anos sem qualquer aumento.

Remuneração

O profissional da PJ ganha até 40% a mais do que quem está no regime CLT. O valor é negociado na contratação. Lembre-se, no entanto, que o PJ paga até 20% dos impostos no momento do recebimento.

Sem desenvolvimento

Por ter poucos laços com o chefe, o PJ pode ter um horário de trabalho mais flexível. Também facilita a mudança de emprego, já que a empresa possui menos ferramentas para tentar garantir um PJ. Por outro lado, a conexão frágil com a empresa é um problema para quem procura um plano de carreira.

Bônus batalhado

Normalmente, você tem que provar os resultados e depois lutar por esse benefício. Nem sempre funciona.

Sem previdência

Sair do regime CLT tem outras desvantagens. Uma delas é, se você precisar se afastar por motivos de saúde,  não terá direito aos benefícios da Previdência Social.

No entanto, esse problema pode ser contornado ao definir e fazer corretamente a retirada de pro labore ou contratando um plano de previdência privada. Para evitar transtornos, a melhor opção é sempre planejar bem como será sua vida trabalhando como PJ.

Ref.: Exame