O que é certificado digital, modelos A1 e A3? Para que Serve?

285
O que é certificado digital, modelos A1 e A3? Para que Serve?
4.7 (93.33%) 3 votos

Você pode ter notado, ao acessar sites que movem dados financeiros, a opção de enviar essas informações por meio de um certificado digital. Mas qual é o certificado digital? Quão importante é para as empresas? Vamos ver neste artigo.

O que é certificado digital?

O certificado digital é um tipo de identidade eletrônica que serve para dá idoneidade a disposição de informações comerciais e financeiras de pessoas físicas ou jurídicas. Protege atividades como a emissão da Nota Fiscal Eletrônica, por exemplo, preservando os dados da empresa e do cliente.

Em uma simulação simples, quando uma empresa envia o saldo fiscal para o sistema da Receita Federal, esse site irá identificá-lo rapidamente, minimizando qualquer problema. Representa uma agilidade nessa relação com os sites do governo, evitando a burocracia estatal .

Isso também garantirá maior segurança para empresas que trabalham com vendas online. É possível que em breve o público use chaves de segurança semelhantes ao certificado digital.

Como o certificado digital funciona?

Funciona criptografando informações no navegador do computador. Isso serve para confirmar a origem dos e-mails, a confiabilidade na entrega de documentos eletrônicos, códigos de mensagens e outros.

Em 2016, a lei que promulgou o uso de certificados digitais foi adotada por empresas que optaram pelo Simples Nacional, com mais de 3 funcionários cadastrados. A partir de então, todos os procedimentos para o envio de documentos tributários e trabalhistas são protegidos por tais ferramentas virtuais.

Os modelos que estão em vigor são:

  1. e- CPF – assinatura digital para pessoa física com validade legal
  2. e- CNPJ – assinatura digital utilizada por pessoa jurídica vinculada à Receita Federal, e com representante legal designado pela empresa
  3. NF-e – usado por muitas empresas hoje, é o certificado digital que garante o processo seguro na emissão de nota fiscal eletrônica. Deve estar devidamente registrado para obter a autorização da Receita.

No caso da NF-e, existem softwares para emissão de notas que já vinculam o certificado digital correspondente em sua interface. É importante saber que existem diferentes tipos de certificados digitais em suas funções. Vamos ver o próximo.

Tipos de certificado digital

Certificados digitais são classificados em série e são divididos em tipos. As séries A (A1, A2, A3 e A4) são utilizadas como assinatura digital para emissão de documentos eletrônicos (como é o caso da NF-e). S-Series (S1, S2, S3 e S4) codificam mensagens e documentos.

Os mais utilizados ​​pelas empresas em suas atividades rotineiras são os da Série A. Eles protegem as comunicações por e-mail e a circulação de dados e documentos fiscais. Os certificados mais adquiridos desta série são A1 e A3. Vamos ver suas funções:

  1. Certificado A1 – é uma versão com mais atribuições. Pode ser instalado em diferentes máquinas e usado em conexões remotas. Ele se conecta ao sistema de navegação, portanto, em qualquer acesso à Web, ele entra em ação rapidamente.
  2. Certificado A3 – geralmente é um equipamento como cartão, token ou pen drive. As informações de segurança estão contidas nesses itens. Ao contrário do A1, ele não pode ser usado em outros computadores simultaneamente.

Outras diferenças entre estes 2 certificados são o custo (A1 é mais caro) e o tempo de validade (A1 dura 1 ano e A3 3 anos). Caberá à empresa identificar que tipo de investimento precisará fazer em relação à certificação digital.

Por que sua empresa precisa de um certificado digital?

Como vimos, algumas empresas já são obrigadas por lei a usar o certificado digital em suas operações. Mas, independentemente da obrigação, adquirir essa ferramenta de segurança, é investir na automação da empresa.

Ter práticas legais aceitáveis ​​já prepara o seu negócio para os próximos capítulos das disputas de mercado. O desafio do empreendedorismo é dar uma boa olhada na Quarta Revolução Industrial já tão falada.

Portanto, optar por investimentos em tecnologia, como programas de gestão empresarial e certificados digitais, será o passo certo para estruturar os novos cenários.

Outro detalhe é a praticidade que sua empresa terá em relação aos órgãos do governo. Processos lentos para informar dados trabalhistas ou previdenciários praticamente não existirão.

Ref.: Juridoc