Saiba de uma Vez por Todas Como Abrir uma Empresa

31
Saiba de uma Vez por Todas Como Abrir uma Empresa
4.6 (91.11%) 9 votos

Começar o seu próprio negócio é o sonho de muitas pessoas com espírito empreendedor. No entanto, a burocracia e a complexa legislação brasileira assustam muita gente, mas sabem que esse procedimento não é tão complicado.

Para aqueles que querem dar o pontapé inicial em um empreendimento comercial, desmembramos o processo e desenvolvemos um guia passo-a-passo para quem quer descobrir como iniciar um negócio.

Depois de alguns passos, você será devidamente regularizado e poderá viver o sonho de ter o seu próprio negócio e alcançar seus objetivos!

Então, leia e aprenda de uma vez por todas o que precisa ser feito em algumas etapas.

Definir o tipo de empresa

Em primeiro lugar, o empreendedor precisa decidir que tipo de sociedade a empresa será, se abrirá a empresa sozinho ou se outras pessoas estarão envolvidas nela. Existem três opções:

Tanto no caso do EIRELI quanto na Empresa Individual, a pessoa pode abrir o negócio sozinha.

A diferença é que na EIRELI existe uma separação jurídica entre os bens pessoais do empreendedor e aqueles que serão da futura empresa.

Assim, quem optou por essa modalidade, se tem problemas com a justiça, responde primeiro como pessoa jurídica, não como pessoa física.

Para optar pela EIRELI , o empreendedor deve ter um capital social no valor de 100 vezes o salário mínimo vigente.

Esse capital pode ser a soma de todos os ativos de negócios, como carros, imóveis ou aparelhos, como computadores.

Por outro lado, a Sociedade Limitada exige que haja pelo menos um parceiro. A separação jurídica de bens também se aplica aqui. No entanto, não há requisito mínimo de recursos – o que também se aplica ao Empreendedor Individual.

Decida o tamanho da empresa

Agora que você decidiu sobre o tipo de societário da empresa, precisa pensar no seu tamanho – pelo menos no começo. Isso porque existem três opções que variam de acordo com o faturamento anual do negócio. As modalidades são:

O MEI é uma opção para empreendedores que tem um faturamento anual de até R$ 80 mil (cerca de R$ 6 mil por mês).

Vale lembrar que essa modalidade se enquadra apenas para quem escolheu o tipo de empresa de Empreendedores Individuais.

Para as outras duas opções corporativas, é possível escolher entre ME – faturamento anual de até R$ 360 mil – ou EPP – faturamento de R$ 360 mil a R$ 4,8 milhões.

O tamanho da empresa também definirá o valor dos impostos que o empreendedor deve pagar – sobre o qual falaremos mais adiante.

Para ser formalizado, o MEI deve se registrar no Portal do Empreendedor. Este registro já fornece o número do CNPJ.

Aqueles que optaram por um ME ou EPP precisam procurar um contador que seja responsável por resolver questões burocráticas.

É importante notar que o futuro empreendedor deve fazer essas escolhas com base no começo de seus negócios. Ou seja, nada impede que ele migre para outra modalidade ao longo do tempo, à medida que a empresa cresce e tem maiores faturamentos.

Então, se você começou sua empresa como MEI, mas seu negócio está crescendo com um faturamento de mais de R$ 80 mil, você deve procurar um contador para regularizar sua situação.

Determine a localização do negócio

O próximo passo diz respeito à atividade comercial da futura empresa e onde ela será exercida. Isso porque você precisará de uma licença de funcionamento para o seu negócio, que é emitida pela prefeitura.

Mesmo para aqueles que querem trabalhar em casa ou não querem receber clientes no local, essa certidão é necessário. Este passo deve ser feito por quem escolheu o MEI e outras modalidades.

Então, peça uma consulta do CEP do endereço, em algumas cidades, essa consulta preliminar pode ser feita online. Essa verificação determina se a atividade empresarial é permitida no zoneamento em questão.

Portanto, antes de alugar uma sala ou um espaço, é crucial fazer essa consulta, pois algumas prefeituras podem não permitir atividades comerciais nas instalações escolhidas.

Se o empresário receber uma resposta positiva da consulta, ele deve entrar em contato com a prefeitura para solicitar a licença. Ao mesmo tempo, se o empresário deve verificar se ele precisa de outras autorizações para abrir seu negócio.

Se você abrir uma pastelaria, por exemplo, precisará de autorização do Corpo de Bombeiros, Vigilância Sanitária, entre outras agências.

Considere o regime tributário

Com a viabilidade emitida pela prefeitura e outras autorizações, o empreendedor está pronto para abrir seu negócio.

Como mencionamos anteriormente, o MEI já possui seu CNPJ emitido pelo cadastro online, enquanto as demais modalidades têm a empresa aberta na junta comercial pelo contador.

O regime de tributação do MEI consiste em uma taxa mensal fixa, composta de 5% do salário mínimo, mais R$ 5 pela prestação de serviços e R$ 1 pelo ICMS. O ICMS somente será pago se a atividade da MEI estiver relacionada ao comércio ou fabricação de produtos.

Para MEs e EPPs, existem três alternativas para a tributação:

Simples Nacional

O modelo do Simples Nacional está passando por mudanças. Em breve, a taxa será um desconto fixo específico para cada faixa e desempenho da empresa.

Assim, a mensalidade a ser paga será calculada levando-se em conta a receita bruta da empresa que foi acumulada nos doze meses anteriores e o desconto será fixado – além disso, existem diferentes tabelas para o comércio, indústria e prestação de serviços.

Na prática, essa mudança pode significar um aumento na carga tributária para alguns empreendimentos e uma redução para outros.

Lucro presumido

No lucro presumido os impostos são calculados sobre um valor que o governo presume que a empresa terá que lucrar.

Aqui, os impostos são calculados e pagos separadamente e o governo estabelece uma porcentagem fixa para cada imposto.

Se sua empresa obtém lucro acima do que o governo presumiu, a escolha desse modo de imposto é um caminho vantajoso.

Lucro real

No lucro real, a empresa deve declarar e comprovar despesas e rendimentos mensalmente para garantir um percentual adequado de tributos em função do lucro efetivamente obtido.

Portanto, esta é uma boa escolha para empresas que estão fazendo um lucro menor do que o presumido pelo governo.

Por fim, é importante falar em planejamento tributário, que deve ser feito por um analista fiscal ou por um advogado tributário.

Com a ajuda desses profissionais, a empresa pode analisar e escolher opções mais vantajosas e que não afetam o crescimento do negócio.

Saiba mais sobre nota fiscal

Para emitir nota fiscal, mesmo usando os sistemas de notas eletrônicas oferecidos por alguns estados, você deve procurar o órgão responsável e solicitar credenciamento.

Prestadores de serviços pagam impostos municipais (ISS), então eles devem procurar a prefeitura.

Por outro lado, as empresas que trabalham com comércio e fabricação de bens pagam impostos estaduais (ICMS), e devem entrar em contato com a Secretaria da Fazenda do Estado para solicitar permissão.

Agora que você sabe como começar um negócio, é hora de tirar suas ideias do papel e fazer seu próprio negócio do jeito que você sempre sonhou!

Ref.: Soften Sistemas